quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Deputado Dr.Getúlio Rêgo defende união da classe política para ações emergenciais na Saúde


O deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM), falou mais uma vez, durante sessão plenária nesta terça-feira (6), sobre o estado em que se encontra a Saúde no Rio Grande do Norte. Para ele, é importante a união entre a classe política e os Poderes em busca de ações emergenciais para conter a crise no setor.
“É grave o que estamos presenciando. Atualmente enfrentamos a pior crise da história da Saúde no Rio Grande do Norte e precisamos buscar alternativas para oxigenar um setor que está obstruído”, disse Getúlio.
O parlamentar destaca que as pessoas estão morrendo por falta de condições financeiras do Estado de pagar aos hospitais conveniados e que é preciso unir-se ao Governo para sugerir uma forma de enfrentar a crise.
Getúlio Rêgo ressaltou a iniciativa do Tribunal de Justiça em remanejar recursos para segurança e sugeriu que a ação se reprisasse, por parte dos poderes, também na área da Saúde. “O mais importante hoje é tentar criar alternativas, buscar o diálogo e a união da classe política para compor uma comissão e irmos até Brasília lutar por recursos. Não basta mudar de secretário, pois é impossível mostrar resultados positivos sem recursos”, disse o parlamentar.
Em aparte, o deputado Tomba Farias (PSB) disse que visitou o hospital Walfredo Gurgel e, segundo ele,  presenciou o maior caos da história na Saúde Pública do Rio Grande do Norte. “Precisamos fazer alguma coisa para tirar as pessoas dos corredores e também aquelas que estão em casa aguardando por cirurgia. Não podemos esperar. A hora é de salvar vidas”.
 Os deputados Hermano Morais (PMDB) e Raimundo Fernandes (PSDB) também apartearam o pronunciamento e concordaram que a situação está insustentável.
Raimundo Fernandes falou que visitou o hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim, e constatou a falta de material e de condições de trabalho dos profissionais. “Tive no Deoclécio Marques, conversei com quatro médicos e eles me disseram que falta material como gesso, gases, soro e até roupa para entrar no centro cirúrgico, pois o pagamento da lavanderia está em atraso”, falou Raimundo.

Senhor JESUS CRISTO o nosso único Salvador 

Nenhum comentário:

Postar um comentário